Banner 728x90

Compartilhe!

Kawarau Bridge

Queenstown a meca dos esportes radicais! Eu não faço nenhum desses esportes mas um iria fazer: bungee jump!

Acabada a minha passagem por Chaslands eu ia pela primeira vez na minha vida viajar de carona.
Na Nova Zelândia mais do que uma tradição é uma solução. Não tem transporte entre as cidades. Você precisa contratar uma van, alugar um carro, se virar. É por isso que o pessoal usa tanto carona por lá.
Com a cara e a coragem fui para a beira da estrada em busca de carona. Meu objetivo era chegar até Queenstown a 250km.

As estradas em Chaslands não são nem um pouco movimentadas nessa época do ano e os poucos carros que passavam estavam me ignorando. Fiquei uma hora esperando até que parou um carro. Eram uns alemães que estavam indo para Curio Bay. Ótimo! Fui com eles até o entroncamento da estrada para Invercargill.

De Carona para Queenstown

Ali não esperei nem 10 minutos e consegui outra carona. Era o Miguel, um espanhol que estava há alguns meses na Nova Zelândia. Comprou uma van já meio adaptada que dava para dormir, jogou a prancha de surfe e arrumava uns trampos para se manter. Cara gente finíssima.
Ele iria até Invercargill, que era no caminho, para procurar emprego então lá eu pegaria outra carona.

Carona na Nova Zelândia
Pegando carona na humildade…

Nesse pedaço passamos por pequena vilas, minúsculas mesmo, parecendo umas cidades fantasmas. As pessoas tem suas fazendas e só de vez em quando vão até lá comprar alguma coisa. Parecem cenário, tudo impecável e deserto.

O Miguel me contou que dormia nessas pequenas vilas, em geral elas tem uma biblioteca com wifi público, um posto de gasolina e ele achava um lugar entre esses dois e passava a noite ali quando tava na estrada.

Vale lembrar que a Nova Zelândia tem apenas 4 milhões de habitantes num território considerável, as cidades são muito pequenas e vazias, especialmente na ilha sul.

No meio do caminho ele recebe uma mensagem e me fala que eu estava com sorte. Chamaram ele para trabalhar numa cidade do lado de Queenstown. Então ele iria direto para lá. Legal! Paramos para comer uma pizza em Invercargill e seguimos para Queenstown.

Se tem uma coisa que vale a pena fazer na Nova Zelândia é pegar estrada. O país é muito lindo, as estradas um tapete, não tem trânsito, é uma maravilha.

Queenstown
A minúscula mas encantadora Queenstown

O Miguel ainda me fez um favorzão e me deixou no centrinho de Queenstown e combinei de pagar uma breja para ele como agradecimento. Eu não tinha feito nenhuma reserva em Queenstown pois não sabia nem se ia chegar ali, então sai procurando por lugares para ficar.

Minha sorte é que Queenstown é minúscula. Após rodar um pouco acabei num hostel no centro da cidade que era o mais barato que achei. Um problema em Queenstown é que é caro pra cacete. Foi o lugar mais caro que paguei hospedagem. Saiu mais caro que Paris e Londres. Certamente pela falta de oferta e nem era o pico de temporada. Imagina no auge.

Por ser caro para cacete é fundamental cozinhar e todo mundo no hostel faz isso. Ainda bem que o hostel tava preparado. A cozinha era enorme com 2 fogões industriais para a galera usar, uma bancada imensa, várias geladeiras e um armário só para guardar suas comidas.

Queenstown
Cartão postal no centro de Queenstown. Magnífico!

Quando vi aquilo achei que deveria ser uma roubalheira de comida danada mas diferente do que me aconteceu em Londres nos dias que passei lá ninguém mexeu nas minhas coisas.

Eu não gosto de hostels grandes, o clima é estranho, nesse então a área comum era um bar no térreo que nem dava para dizer como uma área comum. Não á toa não tinha muita interação. No meu quarto só conversei mesmo com um filipino que tava morando lá a procura de emprego.

Ainda encontrei o Matthew, um americano que trabalhou comigo lá em Chaslands. Falou que ia me mandar uma mensagem para tomar uma breja mas é óbvio que nunca me chamou. Porque as pessoas são tão cuzonas e inventam mentiras como se o outro precisasse da aprovação delas? Fui é pagar uma breja para o Miguel que esse sim era um cara legal.

Trilhas em Queenstown

Queenstown tem esporte para tudo que é gosto. De esqui a trilhas. Claro que eu ia fazer trilha. O que não falta são opções de trilhas: fáceis, difíceis, curtas e longas.

Queenstown
Mesmo no topo de montanhas eles não se esqueceram de um lugar para apreciar

Tiki Trail

Tiki Trail
É só subir até o topo. Parece pior do que é na verdade

Uma trilha que te leva ao Skyline Queenstown, um complexo com restaurante, bungee jump, pista de mountain bike e muito mais coisas. Ela começa na entrada do bondinho e vai até o topo da montanha. Não é difícil mas tem partes íngremes e é um bom aquecimento para quem vai fazer a trilha Ben Lomond.

Trilha Tiki Trail
Em alguns momentos me lembrou filme de terror mas é bonito

Trilha Ben Lomond

Queenstown
A incrível visão no Skyline

Pesquisando vi que a trilha do monte Ben Lomond seria a ideal. Levaria um dia inteiro, não precisava de guia e era linda. E fiquei surpreso com tamanha beleza. Já fiz excelentes trilhas no Brasil e no mundo mas essa é de cair o queixo. Espetacular!

Trilha Ben Lomond
A trilha é uma sucessão de cartões postais
Trilha Ben Lomond
Mais cartão postal
Trilha Ben Lomond
Posando no cartão postal
Trilha Ben Lomond
E mais
Trilha Ben Lomond
Foi a trilha mais bonita que já fiz na vida. É deslumbrante praticamente todo o tempo
Trilha Ben Lomond
A trilha é muito bem sinalizada
Trilha Ben Lomond
Não subi até o topo do Ben Lomond, cheguei um pouco tarde e levaria ainda mais uma hora até lá mas quando olhei isso já não precisava de mais nada

Trilha Sunshine Bay

Uma trilha que é mais um passeio a beira do lago. Plana, passando por entre uns trechos com mata é de uma beleza estonteante. Você pode começar do centro de Queenstown e ir descendo a Beach St, passando pela Lake Splanade sentido Glenorchy, no trecho beirando a estrada encontrará a indicação da trilha.

Sunshine Bay
Para variar mais um cartão postal

Queenstown Gardens

Quenstown Gardens
Queenstown Gardens

Colado ao centro, uma micro península botânica maravilhosa, um convite a contemplação imperdível.

Queenstown
Do outro lado de Queenstown Gardens fica o Frankton Arm que se estende até a cidade de Frankton. Tem trilhas por toda a beira desse braço do lago e claro que com paisagens deslumbrantes

Bungee Jump (ou Bungy como os neozelandeses dizem)

Kawarau Bridge Queenstown
Se joga!

A primeira vez que soube algo sobre bungee jump foi na revista Trip uns 25 anos atrás. Minha irmã comprava essa revista e eu adorava, lia de cabo a rabo pois sempre tinha muita coisa interessante. Lembro que a reportagem falava sobre essa insanidade que era pular de uma ponte, com um elástico amarrado no pé e mergulhar na água dezenas de metros abaixo.

Kawarau Bridge Queenstown
43 metros de altura para molhar a fuça

Pois essa reportagem era em Queenstown e eu saltei exatamente no mesmo lugar, a Kawarau Bridge. Esse lugar é o primeiro local do mundo a fazer bungee jump comercial.

No dia anterior fui até a loja da Bungy e contratei o salto para a Kawarau. No dia seguinte fui até a loja e nos levariam até a ponte. Eu estava meio nervoso. Pular de uma ponte? Que ideia!

Kawarau Bridge Queenstown
Ponte Kawarau. O primeiro Bungy Jump comercial do mundo e até hoje nunca sofreu um único acidente

O que me fez continuar foi saber que nunca houve um acidente nessa ponte. Se desse merda justo na minha vez eu ia pelo menos morrer famoso. O lugar virou um complexo com várias atividades, loja, café, uma organização impecável. Daí te explicam como vai ser, se quer mudar de roupa, preenche um formulário dizendo que se você morrer problema seu e é só ir para a ponte. Dei uma olhada na ponte, nas pessoas pulando e decidi ir de uma vez.

Bungy Jump
Essa parte foi foda

Quando cheguei na ponte fiquei calmo. Na verdade o momento que me deu mais vontade de pular foi ali mesmo vendo aquele lugar lindo. Falei que queria entrar na água, colocaram o equipamento, fui na beirada, fizeram a contagem e só deixei o corpo cair no vazio.

Até esse momento eu estava calmo, no meio da queda é que dá um cagaço da porra. Vou morrer, caralho! Daí meti a cara na água e veio a estilingada que me puxou para cima. Essa foi a pior parte porque apesar de ser suave eu comecei o rodar e junto com a adrenalina achei que ia desmaiar.

Mas me resgataram e o que ficou foi uma experiência louca. Olha o vídeo aí:

Voltando para Queenstown ainda deu tempo de andar pela margem do Frankton Arm, um trecho do lago entre Queenstown e a cidade de Frankton.

Queenstown é um lugar abençoado. De uma beleza arrebatadora e paraíso para quem gosta de fazer esportes e curtir a natureza. Se você curte isso ou se apenas aprecia a beleza em estado puro, faça o esforço necessário mas visite pelo menos uma vez na vida. Será inesquecível.

 

Compartilhe!

Você também vai gostar