Banner 728x90

Compartilhe!

Certificado Internacional de Vacinação você ouviu que precisa tirar mas não tem idéia de como fazer? E é a mesma coisa que o certificado para febre amarela? Sim.

Elaborei todo um guia para você saber o que precisa fazer e ainda falo mais sobre as vacinas para viajar com tranquilidade.

A única vacina obrigatória para a entrada em alguns países é a vacina da Febre Amarela mas não vá por esse caminho de só tomar as vacinas obrigatórias.

A sua saúde deve vir em primeiro lugar. Você não quer correr o risco de ficar doente no meio de uma viagem e até mesmo de morrer somente porque foi negligente consigo mesmo.

Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia – CIVP

Certificado Internacional de Vacinação

É um certificado internacional que assegura que você está imunizado contra doenças, em especial a Febre Amarela.

Lembrando que caso você vá para regiões endêmicas dentro do Brasil, como a Amazônia e Pantanal é recomendado. Eu tomei a vacina da febre amarela quando viajei pelo Brasil.

Passo a passo para tirar o certificado internacional de vacinação:

1 – Tomar a vacina contra a febre amarela. É possível tomar em qualquer posto de saúde do SUS, deve ser tomada pelo menos 10 dias antes da viagem.

2 – Realizar o pré-cadastro no SISPAFRA. O interessado deve realizar um pré-cadastro no endereço http://www.anvisa.gov.br/viajante, clicar na opção “cadastrar novo” ou no link “cadastro”.

O pré-cadastro não é obrigatório, mas agilizará o atendimento prestado para emissão do certificado.

3 – Comparecer ao estabelecimento que emitirá o CIVP.

Para a emissão do Certificado Internacional de Vacinação, é imprescindível a presença física do interessado uma vez que a emissão está condicionada à assinatura do viajante.

Recomenda-se entrar em contato diretamente com o Centro de Orientação mais próximo para saber precisamente o seu horário de funcionamento.

4 – Apresentar a documentação necessária para emissão do CIVP

O interessado deve apresentar o cartão nacional de vacinação e um documento de identidade original com foto.

O cartão deve estar preenchido corretamente com a data de administração, fabricante e lote da vacina, assinatura do profissional que realizou a aplicação e identificação da unidade de saúde onde ocorreu a aplicação da vacina.

São aceitos como documentos de identidade a Carteira de Identidade (RG), o Passaporte, a Carteira de Motorista válida (CNH), entre outros documentos. A apresentação da certidão de nascimento é aceita para menores de 18 (dezoito) anos.

Ressalta-se que crianças a partir de 9 (nove) meses já começam o esquema de vacinação. A população indígena que não possui documentação está dispensada da apresentação de documento de identidade.

Criança/adolescente menor de 18 anos

Não é necessária a presença da criança ou adolescente menor de 18 (dezoito) anos quando os pais ou responsáveis deste solicitarem a emissão do seu CIVP nos Centros de Orientação para a Saúde do Viajante.

Mais informações como 2ª via e Isenção veja diretamente no site da Anvisa.

Dica: grampeie seu certificado internacional de vacinação em uma folha do passaporte. Você não vai querer perdê-lo mundo afora.

Vacinas para viajar

Vacina para viajar

Como citei anteriormente não se deve tomar apenas o que é obrigatório, para sua segurança, procure se vacinar independente até de viajar, é gratuito e acessível.

Veja outras vacinas para viajar recomendadas:

Tríplice viral (Rubéola, Caxumba e Sarampo)

A maioria das pessoas já tomou na infância mas caso não, é fundamental tomar. Existe também a Dupla Viral (Rubéola e Sarampo) somente para adultos até 39 anos, após essa idade é muito raro ter essa doença.

Dosagem: única gratuita.

Regiões endêmicas: América do Norte, Europa, Oriente Médio, Ásia, países do Pacífico e África.

Hepatite B

Transmissível por vírus através do sangue e sexualmente. É considerada uma DST.

Dosagem: São 3 doses da vacina. A primeira dose, a segunda após 30 dias e a terceira após 180 dias. Por esse tempo é bom tomar o quanto antes. É gratuita.

Regiões endêmicas: Américas, África, sudoeste e centro da Ásia e leste europeu.

Febre Tifóide

Doença bacteriana ligada a baixas condições de saneamento e higiene.

A vacina não possui um alto poder de imunização e o tempo de imunização é limitado, mas no caso de viajantes pode ser útil já que o tempo de exposição é menor do que moradores da região.

Dosagem: existe uma por via oral em 4 doses e uma única intravenosa.

Regiões endêmicas: Ásia, África, Caribe, América Central, América do Sul. No Brasil existe risco em algumas área do Norte e Nordeste.

Gripe e Pneumonia

A não ser que você já seja um idoso, são 2 doenças que não causam grandes riscos se tratadas, porém contraí-las durante uma viagem não é nada agradável certo?

Dosagem: a da gripe é anual, gratuita para maiores de 60 anos, crianças menores de 5 anos e gestantes. A da Pneumonia é somente para maiores de 60 anos e a cada 5 anos.

Para ter certeza de que está protegido para o destino que está viajando consulte todas as recomendações e exigências sobre vacinas e doenças de todos os países do mundo.

 

Compartilhe!

Você também vai gostar

Close