Banner 728x90

Compartilhe!

Bangkok a cidade do pecado e da loucura! Hollywood botou isso na nossa cabeça mas será que é verdade?

Depois de rodar por Myanmar durante um mês e fechar com um trekking sensacional nas montanhas de Hsipaw chegamos a Tailândia e a porta de entrada foi Bangkok.

Bangkok seria uma verdadeira base daqui pra frente pois ela funciona como um hub no país e no sudeste asiático.

Eu iria ir e voltar várias vezes para Bangkok.

Acontece que Bangkok é porta de entrada da maioria dos milhões de turistas que vêem para a Tailândia e a sua capital reúne quase tudo o que a Tailândia tem de melhor e pior. Comida boa, cultura fascinante, animação, povo simpático e turistas ensandecidos com preços muito baixos, putaria, praias paradisíacas, bebedeira e outras cositas más.

A união perfeita para a explosão que faz de Bangkok uma cidade pulsante.

Khao San Road

Bangkok
Vendendo gás do riso no meio da rua

Na primeira passagem cheguei com o Miquel e fiquei perto da Khao San Road, a rua dos mochileiros. Essa rua não pára nunca e não é jeito de falar. O Brasil é bom de festa e animação, isso é inegável, mas essa rua nem o carnaval brasileiro chega perto.

Khao San Road
Roda de break na Khao San Road

De dia o movimento é intenso nos camelôs, lojinhas, thai massagens com e sem happy end, barraquinhas de comida e a noite os bares abrem com música alta, dança de rua, baladas e muita bebida no meio da rua, tudo misturado a turistas do mundo inteiro, ladyboys, thai doidos num mixer agora e sempre.

Khao San Road
Balada na Khao San

Isso todo santo dia. O ano inteirinho. É o verdadeiro 24/7. Sem parar, sem descanso, num fluxo incessante. Nunca vi nada igual. Olha aí embaixo como estava numa terça feira qualquer.

Rambuttri

Coladinha tem uma segunda rua também agitada mas com um charme maior: a Rambuttri. Saem os bares com som no talo e entram barzinhos bem decorados, bons restaurantes e a boa comida de rua tailandesa. É uma rua bem charmosa e muito mais civilizada se comparada a louca Khao San.

Rambuttri
Rambuttri mais civilizada e gostosa de curtir

Como íamos para outras partes da Tailândia também era hora de dar um ajeitada na viagem. Como lá no começo perderam minha mochila eu precisava comprar algumas coisas. Fomos para a região de compras da cidade onde ficam os shoppings dos populares que vendem de tudo como o MBK até os de luxo como o Paragon que ficam na mesma região: Siam.

Região se Siam que concentra grandes shoppings da cidade

Para isso pegamos um meio de transporte dos mais baratos que são os barcos que navegam pelos canais de Bangkok. Cortado pelo rio Chao Phraya, Bangkok tem uma rede de canais enorme que se espalham desde o centro até a periferia da cidade.

Por ser o transporte local era ridiculamente barato de 5 a 15 baths dependendo onde você desceria
Vai para o centro da cidade e o melhor de tudo: sem trânsito

Grand Palace

Nessa primeira parada ainda fui sozinho ao maravilhoso Grand Palace o antigo palácio real tailândes construído no século XVIII e casa do rei até o século XX.

É um verdadeiro complexo com palácios, prédios governamentais e templos de arquitetura única, a riqueza dos detalhes de cada prédio é sensacional. O destaque maior fica por conta do templo que abriga o buda de esmeralda, muito importante para todo o povo tailândes de maioria budista.

Grand Palace Bangkok
Guardiões do Palácio
Phra Siratana Chedi
Phra Siratana Chedi
Phra Mondop
Em frente ao Phra Mondhop que guarda escrituras budistas
Phra Mondhop
Ricos detalhes no Phra Mondhop
Prasat Phra Dhepbidorn
Prasat Phra Dhepbidorn, o panteão do rei

Templo do Buda de esmeralda

Chakri Maha
Chakri Maha onde eram recebidos os embaixadores
Grand Palace Bangkok
Os incríveis telhados

Wat Pho

Ao lado do Grand Palace fica um dos mais importantes templos de Bangkok o Wat Pho. Um complexo de templos, monastérios, pagodas, imagens centenárias de budas e até é possível fazer massagem.

Buda deitado Bangkok
O incrível Buda deitado com seus 46 metros de comprimento por 15 metros de altura
Wat Pho
As dezenas de pagodas espalhadas
Wat Pho
Imagens e mais imagens de Buda
Wat Pho
Um dos guardiões dos portões do Wat Pho

Depois de uns dias em Koh Chang voltamos para Bangkok. Dessa vez ficamos no final da rua Rambuttri apenas para poder curtir um pouco a noite e depois meu amigo Miquel decidiu ir para o Laos mas meu caminho seria para o sul em Krabi.

Mas voltei mais uma vez e foi ainda melhor. Conheci pela internet a Air, uma menina tailandesa e saí com ela durante esses dias. Além de ser uma pessoa muito bacana com ela conversava sobre tudo e pude conhecer melhor Bangkok e a cultura tailandesa.

Silom, Parque Lumphini e Bar de Cobertura

Parque Lumphini
Parque Lumphini, uma das poucas áreas verdes no centro de Bangkok

Nessa passagem fiquei na região de Silom e gostei muito. Fácil acesso ao skytrain, o metrô de superfície de Bangkok e pertinho do principal parque da cidade o Lumphini. Ainda fui com ela a uma verdadeira obsessão na cidade: um rooftop bar.

Cloud47 rooftop bar
Bom e barato o Cloud47 faz seu dinheiro valer a pena quando se quer apreciar uma bela vista de Bangkok
Jorge Cruney e Air. Minha luz na cultura tailandesa.

Rooftop bar ou bar de cobertura é uma verdadeira mania em Bangkok e a cidade é cheia deles. Fomos ao Cloud 47 um bar de cobertura sem frescura de dress code muito legal que não te cobra o olho da cara. Recomendo!

Rua Patpong

Num cruzamento da avenida Silom fica um mercado a céu aberto na rua Patpong. Seria mais um mercado de rua normal de Bangkok com uma exceção, na mesma rua é cheio de bares de strip tease. O mais curioso é que esses bares são abertos, você tá andando na rua e dá pra ver a mulherada no pole dance lá dentro.

Patpong
Rua Patpong onde se vende de tudo. De tudo mesmo!

Então de um lado um monte de bugiganga, gente andando pra lá e pra cá e do outro mulher quase pelada rebolando num pau. Tá aí a doideira. Daí fui na rua de trás e foi ainda mais estranho. Na calçada ficam grupos de massagistas com cara das que oferecem happy end, todas uniformizadas chamando quem passa na rua. E são todas sincronizadas, parece um concurso de pescaria com a mãozinha caçando turistas.

Na região também têm bares com os famosos ladyboys ou loverboys como diz meu amigo Paulinho. Corre a lenda no mundo que são tão parecidos com mulheres que não é possível identificar se é homem ou mulher. Eu como brasileiro que vê travesti desde a época do Bolinha identificava todos.

Na verdade você encontra ladyboys a todo momento em Bangkok pois eles não estão escondidos da sociedade. Você encontra trabalhando em shoppings, como caixa no metrô, no ônibus e por toda a Tailândia se tem uma tolerância muito grande a eles. E a sociedade não desabou nem acabou com a tradicional família tailandesa.

De domingo se espalha pela cidade as feiras. Em Silom fecham a avenida e enchem de barraquinhas vendendo principalmente comida mas outras bugigangas também. Existe muito forte essa cultura de rua, comer na rua, comprar na rua, até no estacionamento do shopping montam feirinhas. Eles adoram.

Feira de domingo em Silom
Feira de domingo em Silom

Visitei outros mercados como o da Monument Victory, comi um boat noodle e peguei até um cineminha. Pude conhecer a Bangkok real e não somente a doideira para turista. E foi nesses dias que me apaixonei pela cidade.

Comida tailandesa
Uma das melhores coisas para se fazer em Bangkok é aproveitar sua deliciosa comida. Esqueça o clichê idiota dos escorpiões para turistas na Khao San. A verdadeira comida tailandesa é deliciosa mas cuidado que a pimenta é braba! Um delicioso curry vermelho tailandês de frango.

Bangkok é uma megalópole, multicultural, vibrante e tolerante. Mesmo com problemas que toda cidade grande possui, como um trânsito infernal, ela tem personalidade única e recebe as pessoas de qualquer lugar do mundo de braços abertos.

Bangkok
Bangkok: uma metrópole apaixonante

Compartilhe!

Você também vai gostar

Close